Transtorno Bipolar

Por Ana Lúcia Pereira

15/02/2007

O Transtorno Bipolar é uma doença que se caracteriza pela alternância de humor, sendo que ora a pessoa fica eufórica (episódios de mania) ora deprimida, intercalando com períodos de normalidade. Apesar de transtorno bipolar do humor nem sempre ser facilmente identificado, existem evidências de que fatores genéticos possam influenciar o aparecimento da doença.

Com o que não deve ser confundido

Não devemos confundir transtorno bipolar com as alterações de humor motivadas por dificuldades cotidianas estressantes , pois estas são momentâneas e tendem a desaparecer quando as dificuldades são resolvidas.

Sintomas

A mudança do comportamento de euforia para depressão ou vice-versa é súbita, mas o indivíduo não percebe esta alteração ou a atribui a algum fator do momento, pois o senso crítico e a capacidade de avaliação objetiva das situações ficam prejudicadas ou ausentes.

Quando em um episódio de Mania ou Euforia o paciente pode apresentar:

Quando em um episódio de Depressão o paciente pode apresentar:
Aumento de energia e disposição;
Humor eufórico;
Irritabilidade, impaciência, "pavio curto";
Distração;
Exaltação;
Pensamento acelerado, tagarelice;
Insônia;
Otimismo exagerado, aumento da auto-estima;
Gastos excessivos;
Falta de senso crítico;

Em casos mais graves pode ocorrer:

Delírios e alucinações;
Abuso de álcool ou drogas;· Idéias de suicídio;
Desinibição exagerada;
Comportamentos inadequados;
Desânimo, cansaço mental;
Dificuldade de concentração, esquecimento;
Isolamento social e familiar;
Apatia, desmotivação;
Sentimento de medo, insegurança, desespero e vazio;
Pessimismo, idéias de culpa;
Baixa auto-estima;
Alteração do apetite;
Redução da libido;
Aumento do sono;

Em casos mais graves pode ocorrer:

Dores e problemas físicos como, cefaléia, sintomas gastrintestinais, dores pelo corpo e pressão no peito;

Idéias suicidas.

Tratamento

O tratamento mais indicado atualmente é uma combinação de medicamentos com psicoterapia. O diagnóstico precoce aliada a uma terapêutica adequada é um bom caminho para a melhoria e manutenção da qualidade de vida do portador desse distúrbio. A participação da família também é muito importante. Para auxiliar o paciente, a família precisa saber o que é e como se trata o transtorno bipolar. Esse entendimento trará ao paciente a sensação de apoio e compreensão que serão importantes atitudes no relacionamento familiar. Um bom conhecimento da doença e do seu tratamento pelo paciente, pelos seus familiares e amigos, aumenta a possibilidade de uma vida produtiva, com qualidade e satisfação.

Muitas vezes o paciente não percebe que tem esta enfermidade, e é necessário que familiares e amigos estejam bem informados e saibam reconhecer alguns dos sintomas para poderem encaminhá-lo a um tratamento adequado.

Ana Lúcia Pereira é Psicóloga Clínica, professora Universitária e Consultora Organizacional. Email: alp@analuciapsicologa.com - http://www.analuciapsicologa.com