Stress, Um Estilo de Vida

Irlei Wiesel

04/02/2009





Há tantas coisas acontecendo todos os dias de forma silenciosa e natural.
Refiro-me a noite que encobre o dia, a chuva que ao cair ameniza o calor, o vento que sopra sozinho, as estrelas que brilham oferecendo-nos companhia, o luar que ofusca com seu brilho, a neblina umedecendo os campos, enfim, tantos movimentos da natureza, todos inerentes à nossa vontade, mas todos indispensáveis ao nosso equilíbrio. Um trabalho constante, importante e muito discreto.

Ao observarmos a suavidade com que tudo acontece notamos uma profunda insinuação de paz.

Em contra partida, ao observarmos os seres humanos podemos perceber que para muitos, esta naturalidade não se aplica.

Fala-se tanto em stress, vive-se à beira de um ataque de nervos. Parece que o ser humano perdeu a capacidade de relaxar.

Como se houvesse um cansaço na alma das pessoas. Insiste-se em correr o tempo todo para todos os lados e muitas vezes alcançando lado nenhum.

Sinto haver uma ansiedade em viver na ansiedade. Uma exigência inconsciente em experimentar no corpo sentimentos como nervosismo, raiva, tristeza, intranqüilidade, meios usados para sair da passividade.

Percebo um grande equívoco. A crença, quase coletiva, de que o sucesso exige de nós stress.

Costuma-se afirmar:
“Nada na vida é fácil. Tudo que consegui foi com muito suor”

Até que ponto esta afirmação não estará refletindo no alto grau de stress que nossa geração vive?

A insistente busca pela paz vem causando desconforto. Pois a busca passa pelo stress.

Desconhece-se a busca pelo silêncio da alma, da naturalidade dos movimentos interiores e a capacidade de aprender com os movimentos da natureza.

Enquanto as pessoas se destroem, tentando construir, lá fora a vida ensina a todos com sua leveza que haverá sempre um novo amanhã para quem respirar há paz.

Quando a vida vira um stress, ela deixa de valer a pena!



Irlei Wiesel é Psicoterapeuta, Escritora.
E-mail: ilhw@terra.com.br
(55) 3026 3055