Por que aumenta o Estresse

Por Jorge Antônio Monteiro de Lima

16/07/2010

 

Obs.Este material deriva de diversas entrevistas feitas ao analista, psicólogo e pesquisador em saúde mental Jorge Antonio Monteiro de Lima que viraram pequenos artigos mostradas ao longo de nosso site foram coletadas em diversos programas de rádio, jornais, televisão, enviadas ao website do Instituto OlhosDaAlmaSã, e a outras participações junto a mídia.

Também agregamos perguntas desenvolvidas pela assistência nas inúmeras palestras desenvolvidas todas compiladas neste site. Questionamentos mais comuns aos dias de hoje. Por isto neste material mantivemos a linguagem coloquial rotineira, visando uma melhor assimilação do leitor.

Existem milhares de pessoas reclamando de um estado psicológico desagradável(desconforto, angústia,ansiedade, vazio no peito ou insatisfação,...), por que este tipo de queixa tem aumentado tanto no ser humano moderno?

Vou falar do que observei nos mais de seis mil atendimentos (de 1999 a 2005) desenvolvidos pelo nosso Instituto. Estamos em uma civilização extremamente massificada e consumista, extrovertida a um alto grau, maníaca e eufórica.

Tudo isto culmina na falta de auto- conhecimento, ou em conhecimento superficial de si mesmo. Como encontraremos a felicidade e a auto realização em ideais extrovertidos que abarcam a desconexão com nossa própria essência?

Carl Gustav Jung psiquiatra suíço propôs em sua teoria um conceito intitulado Individuação. Este propõe um caminho de uma real espiritualidade na qual o indivíduo encontre sua essência e seu caminho singular e único de realização.

Se observarmos nos dias de hoje até mesmo as religiões abarcam a massificação em movimentos de grupo que impossibilitam um real crescimento do indivíduo por uma alta dogmatização da fé. Tudo extrovertido na cultura de politicagem religiosa na qual templo é dinheiro. Mas como diria Jesus Cristo "Meu reino não é deste mundo" ou ainda "Dai a César o que é de César. Dai a Deus o que é de Deus."

Infelizmente as religiões tem virado o ópio alienando as pessoas de sua própria natureza.

Toda esta superficialização do ser humano em todos os campos fará inevitavelmente com que aumente a sua insatisfação, por uma profunda desconexão.

Veja que nesta busca aumenta o sexo sem compromisso, as drogas, a violência, a auto agressividade, a droga da televisão que te coíbe o raciocínio...viramos voyers de emoção e tentamos por tudo fugir desta angústia existencial moderna que abarca a coletividade como um todo. Daí aumentarem as psicopatologias em um movimento hermético de reequilíbrio. A doença então vira um servo divino trazendo pelo caminho adverso o homem a reflexão.

Repensar e redimensionar os objetivos de vida é o caminho básico para quebrar um pouco deste sentimento de insatisfação coletiva que nos abarca. Isto só será possível pelo auto conhecimento.

Como psicoterapeuta proponho a todos meus pacientes não apenas um tratamento sintomático de um processo psicopatológico, mas uma jornada dentro da própria essência do paciente. Convido o para mergulhar no sentido deste vazio existencial o utilizando como um guia. A doença pode ser um excelente norteador deixando claras nossas dificuldades e aspectos que necessitam ser trabalhados na personalidade. Este será um caminho único e subjetivo no qual a afetividade será a bússola.

Muitos pacientes porém tentam fugir de sua própria essência apresentando enorme resistência para um contato mais profundo com sua realidade interior o que aumentará seu grau de sofrimento de forma intensa. Nestes casos estes tentarão sempre os tratamentos mais superficiais, rápidos e sintomáticos fugindo dos fatores que originaram sua crise, tentando tapar o sol com uma peneira. A resposta será equivalente ao seu investimento ou seja melhorará superficialmente tendo novamente repetidas crises que migrarão de um problema a outro constantemente. Justamente por isto adotamos a metodologia da psicoterapia da psicologia clínica de base humanista em especial da escola analítica por percebermos que esta agrega tanto os fatores sintomáticos quanto uma real busca de um mergulho profundo na essência da alma humana.


Jorge Antônio Monteiro de Lima é pesquisador em saúde mental, Psicólogo e musico Consultor de Recursos Humanos Consultoria para projetos de acessibilidade para pessoas com necessidades especiais email: contato@olhosalma.com.br - site:www.olhosalma.com.br