Manuais do Sucesso: Será que funcionam?

Por Bruno Soalheiro

12/06/2008



Em busca do sucesso na profissão, muitas pessoas, pelo menos as mais dedicadas, costumam procurar no mercado por informações relevantes que possam ajudá-las a gerenciar melhor suas carreiras. E a forma mais tradicional de se fazer isto é pesquisando textos na internet ou comprando livros de "auto-ajuda profissional"

Acontece que cada vida é uma, cada ser é um, e cada contexto é único. Concorda?

Levando isto em conta, será que é realmente possível uma pessoa que nunca te viu, nem mesmo conhece sua realidade, contribuir para seu crescimento profissional através de livros e artigos?

Nos últimos tempos alguns autores competentes têm questionado muito o uso de manuais profissionais ou fórmulas prontas para o sucesso. E realmente o que não falta, em especial de dez anos pra cá, são livros sobre "seja assim", "aja assado", "desenvolva isso" ou "transforme-se naquilo"; enfim, uma série de apontamentos e dicas prontas que prometem o tão almejado sucesso profissional.

Longe de acreditar que seguir cegamente estas dicas pode mesmo levar alguém ao sucesso, também não quero concordar com os que acham que elas não podem ser úteis quando devidamente compreendidas e aplicadas no contexto da existência de cada um.

Meu ponto de vista é que decorar e aplicar "dicas e sugestões" sem fazer uma profunda revisão de si e de seus objetivos é mesmo insuficiente, e acaba produzindo uma espécie de profissional "automatizado", meio robótico e sem autenticidade verdadeira, o que definitivamente não é o que o mercado busca.

Por outro lado, pouco adianta você descobrir seu sonho de vida, passar a ser uma pessoa centrada, com energia e entusiasmo, se não tiver acesso aos comportamentos que são mais valorizados hoje, e que muitas vezes são bem descritos em alguns destes "manuais".

Portanto, sou da opinião de que não é isso "ou" aquilo, é isso "e" aquilo.

Precisamos sim, conhecer as dicas e as "fórmulas prontas" que nos são passadas muitas vezes por pessoas que alcançaram o sucesso e viveram experiências edificantes, mas devemos ter a maturidade e o discernimento para realmente as entendermos e desenvolvermos em alinhamento com nossa personalidade e nossa essência.

A questão aqui é bom senso. Digo isto porque costumo ver pessoas em pólos opostos na maioria das vezes. De um lado os que consomem vorazmente este tipo de leitura, acreditam que é "receita de bolo" e algumas vezes se frustram porque não deu tudo certo "como estava no livro".

Do outro lado temos os céticos, que debocham e ignoram este tipo de material, preferindo agir de acordo com suas próprias percepções do mundo. São pessoas que muitas vezes acabam deixando de conhecer "experiências e comportamentos" compartilhados por autores, e que poderiam muito bem ajudar em suas carreiras, desde que encaradas com senso crítico.

Então fica a dica, artigos e "manuais" funcionam sim, desde que saibamos interpretá-los com inteligência e bom senso, entendendo suas limitações e buscando tirar proveito de suas preciosas sugestões.


Bruno Soalheiro é Psicólogo, palestrante e consultor em desenvolvimento humano.