Luxo para Viver

Por Marcus Facciollo

14/10/2009

 


Luxo faz bem para a vida. Quando digo "luxo" não me refiro a ostentação, algo que é feito para atingir um status maior ou servir de tentativa de ajuda para elevar uma autoestima em baixa (quem precisar de ostentação para se sentir melhor está na hora de refletir sobre si e sua vida e tentar encontrar o que acontece de não tão bom dentro em seu interior). Refiro-me àquilo que é feito por um gosto, prazer, satisfação pessoal.

Para uns, esse luxo positivo é tirar um dia para não fazer nada, ou para viajar, praticar um hobby. Para outros, é comprar um perfume, uma roupa nova, um corte de cabelo especial. Ou, ainda, ir ao teatro, visitar uma instituição para crianças carentes, plantar uma árvore. Tudo isso relaxa, dá alegria, energia positiva de vida.

Nossas vidas não podem ser só obrigações, precisamos dar espaço para o lazer, para o ócio, criativo ou de descanso, mesmo, para um pouco de superficialidade. Ser profundo o tempo todo é cansativo, pesado. A profundidade também se encontra nas coisas superficiais, para quem tem olhos para vê-la. Adoro algumas frases de uma música dos Titãs, "Comida": "A gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte" e "A gente não quer só comida, a gente quer bebida, diversão, balé". E todos temos direito.

Há pessoas por aí, porém, que parecem não acreditarem que têm direito a algo além de trabalho, estudo, contas a pagar, deveres... Seja por causa da criação rígida que tiveram, por limites que (se) impuseram, por vestirem a "roupa" de vítimas sofredores que não têm tempo, oportunidades ou condições para mais nada além das obrigações. Há quem, inclusive, ache isso bonito, não ter espaço em sua vida para nada além dos deveres. Eu acho isso triste, sinceramente. Tais pessoas muitas vezes criticam aqueles que se dão o direito de ter seus luxos. Não vamos dar ouvido a elas, certo? Estão deixando de viver um lado bom da vida.

O luxo positivo é lúdico, útil, ajuda-nos inclusive a nos tornarmos pessoas melhores, aprendemos a usufruir o bom da vida e o valor que isso tem para todos. Entendemos que isso faz bem e que todos deveriam ter o direito de viver seus luxos pessoais. Luxos que não implicam magoar ou prejudicar alguém para serem obtidos/vividos, que não vão fazer mal ao próprio indivíduo, causar um rombo no orçamento ou tirar verba que seria destinada a alguma necessidade básica ou obrigatória.

O luxo é para todos, ricos, pobres, adultos, crianças, homens, mulheres... Cada um tem o seu e tem o direito de tê-lo. Tomar posse de seu luxo e vivê-lo faz bem para a cabeça e para o espírito.

 

Marcus Vinícius P. Oliveira - Psicólogo organizacional, palestrante e consultor de empresas. Autor do livro de bolso “O passo além da competição”. Diretor da Liner Consultoria.