A Janela de Johari

09/06/2007


A janela enfoca a questão do Relacionamento Interpessoal, baseado nas descobertas de JOSEPH LUFT & HARRY INGHAM , dois cientistas sociais (um psicólogo e outro psiquiatra) que se dedicaram a estudar as questões pertinentes ao comportamento humano e seus reflexos, representadas em uma janela de quatro vidraças.
É um modelo conceitual ou perspectivo para uma visão do relacionamento interpessoal. Com os quatro quadrantes de uma janela pode-se ver como as pessoas se relacionam em grupos. A dinâmica do relacionamento interpessoal faz esses quadrantes se moverem (aumentando e diminuindo) principalmente após respostas aos estímulos (feedback) que recebemos ao nos relacionarmos em grupo. Estes, por sua vez, nos ajudam a compreender uns aos outros. Os quadrantes, sendo observados em termos de coluna e barra, podem diferenciar-nos do grupo. A primeira coluna contém aquilo que sabemos a nosso respeito. A segunda coluna contém aquilo que não sabemos a nosso respeito. A primeira barra contém o que os outros conhecem a nosso respeito. A segunda barra contém aquilo que os outros desconhecem a nosso respeito. Estes quadrantes, sendo observados particularmente, são definidos em Arena, Mancha Cega, Fachada e Desconhecida.


Tipos de Quadrantes


• Arena (ou área livre) é o primeiro quadrante, mostra o que é conhecido de nós próprios e dos outros. Parte fundamental do relacionamento pois é o que somos capazes de mostrar conscientemente. Ela se abre a medida que a confiança e verdade aumentam. Informações pessoais são compartilhadas. É a troca livre e aberta de informações. Exemplo: Quando se conversa com um amigo sobre algo particular, um desabafo relatando fatos. O aumento dessa arena é considerável, pois há sinceridade.


• Mancha Cega, quadrante na parte superior direita, representa o que não percebemos de nós mesmos mas que os outros percebem. Parte que mostramos inconscientemente. Exemplo: Nossos tiques, verbalizações, estilos. O feedback para este quadrante é essencial pois só com eles podemos descobrir melhor nossa mancha cega.


• Fachada (ou área oculta), quadrante inferior esquerdo, é o que conhecemos de nós mesmos mas não revelamos, nossa parte secreta. Desconhecido do grupo pois ocultamos para evitar feedback que não gostaríamos de receber, ou julgamentos que possamos receber ao revelarmos sentimentos, reações, pensamentos. Mas, se não assumirmos certos riscos, nunca descobriremos quais seriam as possíveis reações alheias. Exemplo: Nossas habilidades natas, ou conhecimentos que adquirimos e de certa forma ocultamos ou apenas usamos disciplinadamente. Isso pode caracterizar o egoísmo quando queremos controlar ou manipular ou outros. Geralmente os chefes não revelam táticas e pensamentos por estratégia própria.


• Desconhecido (ou ignorado), parte inferior direita, é a parte desconhecida de nós e dos outros, nossa parte inconsciente. Este quadrante é de nossas motivações inconscientes, áreas inexploradas. Exemplo: Nossas habilidades latentes e recursos por descobrir que possam ser decorrência da primeira infância.

Considerações Finais

A janela de Johari é dinâmica e sua movimentação é variada principalmente a partir dos feedbacks e da auto-exposição. Dizem que o feedback para ser efetivo precisa ser pedido pela própria pessoa, nunca imposto. Deve ser oportuno e adequado nunca num momento de explosão ou raiva intensa. Mas também requer uma confirmação de sua interpretação pelo(s) interlocutor(es). É importante ter consciência de que muitas vezes transmitimos informações (feedback) irrelevantes para as pessoas. Aplicável e específico: não se deve "atirar coisas ao ar" sem especificar o que elas querem dizer. Devemos ser neutros sempre que possível, desprovidos de julgamentos ou interpretações subjetivas. Os feedbacks não são somente compostos pelo que se diz, mas também por entonação, postura etc.
A Janela de Johari pode ser usada para qualquer tipo de relação interpessoal, principalmente em grupos. Quando as condições para o feedback são respeitadas e bem usadas a janela nos ajuda a compreender os outros e principalmente nós mesmos.


Não estamos certos quanto aos direitos autorais deste artigo. Por esse motivo, a função de cópia do mesmo está desativado. Se alguém souber de algum impedimento quanto à publicação, ou a sua autoria, solicito que nos comuniquem e retiraremos o texto do site imediatamente. - Daniel Portillo Serrano - Editor.