A Importância do brincar no desenvolvimento infantil

Por Eliane Pisani Leite

29/10/2008




Toda brincadeira tem um significado a ser explorado.
Analogamente ao profissional que desenvolve sua carreira, a criança constrói seu conhecimento com brincadeiras, jogos, jogos dramáticos e jogos com regras.
Muitos pais ao verem seus filhos brincando se questionam se devem deixá-los sem fazer nada, porém desconhecem o fato de que brincar é forma natural da criança vivenciar todos os acontecimentos do seu dia a dia e até mesmo compreender o mundo que a cerca.
A criança brinca para aprender, ganhar experiência, desenvolver-se, exercitar sua criatividade. Durante as brincadeiras começa identificar seus sentimentos: amor, raiva, agressividade, Isso podemos observar durante os jogos dramáticos da criança que procura imitar os adultos em suas atividades e se utilizam de expressões e mímicas para representar o personagem .
Nos jogos aprende a competir, suportar embates, perseverar até alcançar seus objetivos.
Assim como nós adultos fazemos amigos e inimigos em determinadas situações, o mesmo acontece com as crianças durante as brincadeiras. Esta passa então a ser uma iniciação no processo de relações humanas.
O primeiro brinquedo do bebê é a própria mãe, a amamentação traz satisfação, sentimento de segurança e prazer. Posteriormente a criança passa a explorar o mundo
Para Winnicott, pediatra e psicanalista inglês a primeira brincadeira do bebê é o uso que ele faz do urso, da fralda, do cobertor, ao que ele denomina ‘objeto transicional’, isto significa que a criança faz uso desses objetos como uma substituição da presença da mãe, quando esta se ausenta.
Quando a criança começa a usar esse objeto, que representa sua mãe e as boas experiências de cuidados (alimentação, colo, etc) ela demonstra estar apta a formar dentro de si, uma imagem do objeto (de mãe e do manejo exercido pela mãe)
Uma criança que não brincou o necessário na infância pode ter seu desenvolvimento afetado, pois ela “pulou” etapas importantes que só com os jogos e brincadeiras apropriadas à sua faixa etária ela poderia ter elaborado as situações que internalizou durante sua vida.
Cabe aos pais estimular adequadamente as brincadeiras de seus filhos, dar mais tempo para que possam apenas e simplesmente brincar. Oferecer materiais e brinquedos que estimulem sua inteligência e elaborem suas emoções.
Uma infância bem vivida só pode trazer adultos equilibrados e resolvidos.


Eliane Pisani Leite - Autora do livro: Pais EducAtivos

Pisicologia Acupuntura Psicopedagogia - pisani.leite@terra.com.br