O Futuro da Medicina Psicossomática

Por Dr. Wagner Paulon

20/04/2008

 


Os últimos cem anos em medicina viram o conceito estrutural da doença levado da anatomia patológica e patologia celular para a era bacteriológica e suas grandes descobertas. Depois veio o período da bioquímica e do metabolismo que conduziu à enormemente produtiva endocrinologia. Estamos acabando de bater à porta que conduz à era da medicina psicológica que, confiamos, trará contribuições de igual importância.

Com esse último desenvolvimento em medicina, conseguiu-se uma síntese e toda a medicina tende a tornar-se medicina psicossomática. Por isso, bem pode ser que o futuro texto de medicina consistirá, como afirmou Menninger, de um exame sistemático da relativa importância dos fatores externos e ambientais e dos fatores internos, emocionais, responsáveis pela incidência de toda moléstia e de toda doença. Esses estudos promoverão um conhecimento mais compreensivo do ser humano como um produto de forças físicas, químicas, psicológicas e sociais.

A medicina teve seu verdadeiro início no estudo do homem na mesa de dissecção. Continuemos com o estudo do homem não somente como um mecanismo anatômico e fisiológico, mas como um ser humano possuidor de amores e ódios, necessidades e paixões, capaz de perturbar sua alma e seu corpo.

 

Dr. Wagner Paulon - Formação em psicanálise (Escola Paulista), mestre em psicopatologia (Escola Paulista), psicologia (Saint Meinrad College) USA, pedagogia (FEC ABC), MBA (University Abet) USA, curso de especialização em entorpecentes (USP), psicanalista por muitos anos de vários hospitais de São Paulo.