Foco no Positivo

Por Bruno Soalheiro

14/04/2007



Segundo estudiosos um ser humano leva em média 21 dias para adquirir ou eliminar algum hábito. Isto significa que durante este período a atenção deve ser máxima sob pena de se comprometer a tentativa de mudança. E na verdade, devo dizer, eliminar um hábito é desenvolver outro no lugar dele. Acontece que 21 dias não é pouco tempo, e pra garantir que o hábito seja mesmo “exorcizado” recomendaria pelo menos uns trinta dias. Mas recomendaria também outra coisa, e muito importante; não se foque em “eliminar” comportamentos e hábitos indesejáveis, se foque em desenvolver comportamentos e hábitos “desejáveis”. Pode parecer a mesma coisa, mas não é.

Se você fica pensando o tempo todo no que “não quer” continuar fazendo, acaba trazendo aquilo para seu campo mental e aí fica ainda mais difícil não fazer. O foco deve ser no positivo que ocupa o espaço do negativo, mas sem chamar o negativo à baila. Vou dar um exemplo: Já trabalhei com adictos de drogas pesadas num serviço de atendimento municipal, e lá havia pessoas que usavam de tudo. E nesta mesma época o governo fazia uma campanha de comerciais “contra” o uso de drogas. Só que com foco em negatividade. Ou seja, em vez de mostrar uma cena linda e agradável recomendando às pessoas que vivessem assim (reforço positivo), mostravam um quarto escuro com pessoas consumindo drogas incessantemente, recomendando que “não fizessem aquilo”.

É como se eu quisesse que você parasse de comer demais e para isso ficasse te mostrando um lindo bolo de chocolate dizendo, “não coma isso viu!” (reforço negativo). Então, ocorreu um dia que um de meus pacientes chegou à reunião desolado por ter entrado em recaída, e quando perguntei o que houve deu-me a seguinte resposta __que não o excusa da responsabilidade por sua recaída, mas que também nos mostra o impacto de certas imagens na cabeça das pessoas __, disse que há muito tempo parara de consumir cocaína e nunca mais tinha nem visto aquilo, mas havia uma tal “propaganda” na tv que mostrava sempre um tanto de gente “cheirando”; e mesmo que dissessem no final que aquilo era ruim, ora, ainda assim mostravam um tanto de gente cheirando! E ele vendo aquilo, de que nem se lembrava, ficou com vontade.

Sei que a intenção da campanha era boa, mas a estratégia não. É pra frente que se anda. Trabalhar com foco no que se quer eliminar pode até funcionar depois de muito tempo, mas é muito menos eficaz do que se trabalhar com foco no que se quer desenvolver. Simplifico: Não diga “vou deixar de ter cara amarrada” diga “vou ser uma pessoa bem humorada”, não pense “tenho que parar de comer doces e porcarias” diga “tenho que desenvolver uma alimentação mais saudável”.

Não encha sua mente com o que você não quer! Se quiser eliminar uma coisa, que sentido faz ficar pensando nela o tempo todo? Novas competências sempre ocupam o lugar de algo indesejável. Portanto, se você pretende mudar algumas coisas em você neste ciclo de mais de 21 dias, foque-se no positivo, pense no que você tem que”desenvolver” para suprimir algo que não deseja mais.

Não se elimina maus hábitos, desenvolve-se bons hábitos no lugar deles; pode não parecer, mas há uma diferença enorme aí.

Bruno Soalheiro é Psicólogo, palestrante e consultor em desenvolvimento humano.