Falta de Assertividade

Por Ana Lúcia Pereira

15/02/2007


Assertividade é qualidade de quem é capaz de lidar com confrontos de idéias e interesses, sabendo declarar suas convicções e exigir seus direitos apesar disso implicar em um embate diplomático.

Assim sendo, a falta de assertividade é a falta dessa qualidade, que implica numa constante postura defensiva e passiva em relação as dificuldades mais comuns que surgem na vida.

Com o que não deve ser confundida

O maior problema quanto a confusões não ocorre com respeito aos sintomas da falta de assertividade, e sim com os sintomas que as manifestações de assertividade geram em quem não é assertivo.

Assertividade não é sinônimo de agressividade ou violência. Muitas pessoas não assumem suas posições de forma simples e autêntica, com receio de serem agressivas. Por outro lado pessoas agressivas se auto intitulam de assertivas ou muito francas, sendo que muitas vezes estas estão passando por cima das fronteiras da diplomacia pessoal e da boa convivência.

Pessoas assertivas lidam com os confrontos com mais facilidade e satisfação, sentem-se menos estressadas, adquirem maior confiança, agem com mais tato,melhoram sua imagem e credibilidade, expressam seu desacordo de modo convincente, mas sem prejudicar o relacionamento, resistem às tentativas de manipulação, ameaças, chantagem emocional, bajulação, etc, e por fim sentem-se melhor e fazem com que os outros também se sintam melhor apesar do embate.

Sintomas

Estresse e ansiedade em contatos pessoais específicos;

Fracasso na obtenção dos resultados desejados (emprego, compras, direitos, etc.);

"Engolir" a raiva gerada pelo sentimento de que deveria ter dito algo que não disse naquela determinada hora;

Sujeitar-se a fazer determinadas coisas por não ter tido a coragem de dizer não para o outro.

Tratamento

A assertividade é uma habilidade comportamental, e dessa forma pode ser desenvolvida a partir de uma postura de questionamento e reavaliação de crenças pessoais objetivando mudanças de postura.

A psicologia cognitivo-comportamental é uma ferramenta eficiente e preciosa nesse sentido, por favorecer a mudança do diálogo interior de negativo para positivo, desenvolvendo a auto-estima e levando em consideração limites e direitos.

Ana Lúcia Pereira é Psicóloga Clínica, professora Universitária e Consultora Organizacional. Email: alp@analuciapsicologa.com - http://www.analuciapsicologa.com