A Falência das Jovens: Anorexia

Por Dr. Wagner Paulon

18/05/2008

 

A aparência esbelta é muito cultivada em nossa sociedade. Muitos adolescentes, sobretudo os que têm estrutura física naturalmente grande, podem comer menos do que sua saúde requer, num esforço por ficar mais parecido com algum modelo de beleza admirado na ocasião, como, por exemplo, alguma estrela de televisão ou do cinema. O resultado, embora indesejável, não é motivo para causar ansiedade aos pais.

Existe, porém, uma condição específica, conhecida como anorexia nervosa, em que os adolescentes, sobretudo moças, comem tão pouco por tanto tempo que acabam gravemente subnutridas e sua própria sobrevivência pode ver-se ameaçada.

O quadro de anorexia, geralmente se inicia com o que parece ser um regime sensato para perder uns quilos excedentes, mas uma vez alcançado seu peso ideal ou mesmo um nível de peso inferior ao desejado, a moça realmente não consegue parar o regime.

O quadro de anorexia é uma condição particularmente intrigante porque o adolescente tem uma percepção completamente distorcida de sua imagem física: muitas jovens anoréxicas que, aos olhos de observadores neutros, pareciam só pele e ossos, continuavam a exprimir preocupação pelo próprio excesso de peso.

Existem muitas dúvidas que ainda não sabemos a respeito dessa condição. Embora ainda seja relativamente rara, sua freqüência parece estar aumentando. Fatores biológicos (possivelmente um mau funcionamento, da pane anterior da glândula hipófise, situada na base do cérebro) podem ter ai algum papel, mas os fatores psicológicos parecem ser de importância primordial.

Os pais quase sempre se espantam com o aparecimento da anorexia, porque seus filhos constantemente pareceram tão "normais". Quando crianças, os adolescentes anoréxicos tipicamente pareciam "muito bons" - calmos, obedientes, sempre dignos de confiança e ansiosos por agradar. A maioria chegou a ser bons estudantes.

O quadro de anorexia observado de perto, porém, não é tão alentador. Ao menos inconscientemente, a maioria dos jovens anoréxicos sentem que foram defraudados e impedidos de viver sua própria vida e que não são capazes de formar uma forte identidade própria. Tipicamente, falta-lhes um sentido claro da emergência de uma noção de eu, apesar das lutas prolongadas para serem "perfeitos" aos olhos dos outros. Talvez como reação a isso, podem ter a necessidade obsessiva de controlar todos os aspectos da vida, sobretudo o próprio corpo. Eles também podem se sentir incapazes de atender às demandas da maturidade sexual.

Séria limitação da alimentação, pode interromper a menstruação normal ou retardar a menarca, às vezes durante anos, e tornar menos evidentes as características sexuais secundárias, pode surgir como forma de retardar ou evitar o crescimento. A rnenarca tem íntima relação com o peso do corpo, e pode haver algum reconhecimento inconsciente da aproximação desse peso crítico.

Pesquisas feitas com pais de adolescentes anoréxicos mostram que eles freqüentemente exerceram um tipo de controle tão firme e regulador durante a infância da filha que esta tem dificuldade para estabelecer um senso de identidade e falta-lhe confiança em sua própria capacidade de tomar decisões. Esses pais também se inclinam a encorajar os filhos a ser perfeccionistas e a ter desempenho superior.

A terapêutica da anorexia pode exigir inicialmente um tratamento hospitalar cuidadosamente planejado. Mas é essencial o tratamento psicanalítico, não só do adolescente como também de seus pais, para que o indivíduo continue melhorando e não haja recaídas.

Dr. Wagner Paulon - Formação em psicanálise (Escola Paulista), mestre em psicopatologia (Escola Paulista), psicologia (Saint Meinrad College) USA, pedagogia (FEC ABC), MBA (University Abet) USA, curso de especialização em entorpecentes (USP), psicanalista por muitos anos de vários hospitais de São Paulo.