Estresse, Memória e Concentração

Por Jorge Antônio Monteiro de Lima

16/07/2010

 

 Por que é comum ao estresse a dificuldade na concentração e memória?

Jorge- Pelo desgaste presente no sistema nervoso. Particularmente vejo que ha uma ligação direta entre a memória, concentração e os estados de estresse e ansiedade. É normal em um estado de fadiga, sem uma presença de um estado patológico ou pré- patológico que nós percamos nossa memória e capacidade de concentração. Isto ocorre por exemplo ao final de uma madrugada em claro, após um final de semana agitado, após um período estressante como o vestibular.

A memória e a concentração também vão depender diretamente da qualidade do sono que devemos ter. Se dormimos mal nosso sistema nervoso não funciona direito e o resto vira efeito cascata. Embora não afete a todos os pacientes na fase da crise aguda de uma depressão ou pânico surgindo em aproximadamente apenas 32% dos casos, geralmente estas crises de memória e concentração são mais perceptíveis após o inicio dos tratamentos quando paciente já começou a melhorar. Imagino que isto ocorra pela intensidade dos outros sintomas ser maior gerando mais incomodo, o que torna a concentração e a memória em apenas um detalhe.

Todavia tanto a memória e a concentração são agentes norteadores do grau de estresse presente na vida de um paciente, podendo inclusive servirem de referencial diagnóstico.

Particularmente oriento meus pacientes com dois procedimentos básicos para melhorar a memória quanto a concentração. Peço a eles que façam uma agenda, como um diário, para anotar os fatores mais importantes para que não se esqueçam. Peço ainda que a tenha sempre a mão até que seu organismo volte ao normal. Isto ajudará muito na memória. Os oriento também a exercitarem mais seu cérebro com jogos como o próprio jogo da memória. Aos poucos o paciente melhorará neste aspecto.

Com relação a concentração aplico técnicas de meditação na qual buscamos o controle dos pensamentos e dos instintos. Particularmente gosto da "Prática da recordação" da meditação budista. Independentemente de seu contexto religioso, buscamos através de exercícios de respiração cíclica diafragmática direcionar a atenção e a percepção para outros meios intra psíquicos, ou seja, a controlar as idéias e pensamentos que para os orientais são como um "macaco louco". Isto tudo bem aplicado pode melhorar a capacidade de percepção, atenção, memória, as idéias fixas e o turbilhão desenfreado de nossa mente.

Infelizmente no ocidente não aprendemos a pensar, nem a reter e controlar nossos pensamentos e conseqüentemente nossos instintos. E o excesso de pensamentos compromete em muito nossa capacidade de concentração visto que mergulhados em nosso mundo interior, ficamos incapazes de direcionar nossa percepção e cognição. E quanto mais nos treinamos maior será nossa memória e concentração.


Jorge Antônio Monteiro de Lima é pesquisador em saúde mental, Psicólogo e musico Consultor de Recursos Humanos Consultoria para projetos de acessibilidade para pessoas com necessidades especiais email: contato@olhosalma.com.br - site:www.olhosalma.com.br