Estresse e Transtornos

Por Jorge Antônio Monteiro de Lima

16/07/2010

 

 Está extremamente comum encontrarmos pessoas com distúrbio de sono (hipersônia ou insônia) qual ligação disto com o estresse?


O sono é um importantíssimo agente reparador de todo nosso organismo, do sistema hormonal, nervoso, físico. A ação do sono no humor é algo facilmente observável a partir dos 30 anos, quando ficamos noite sem dormir ou que dormimos pouco logo sentimos o mal estar. o efeito é catastrófico.

O estresse pode facilitar este desequilíbrio pois a tensão nervosa pode coibir o sono ou levar um indivíduo a dormir demais muito afilem do necessário. Este desequilíbrio poderá ser patológico a medida em que se torne freqüente e com forte intensidade. Nas depressões graves por exemplo, é comum observarmos pacientes em crise aguda sem dormir direito por semanas ou meses. O distúrbio do sono agravando a patologia e vice versa.

Infelizmente neste mundo consumista vemos apregoado que o ideal de vida de um workholic é o de trabalhar 18 horas diárias e de dormir entre 4 ou 5 horas se dormir. Uma máquina que não precisará de descanso nem de repouso. Já vi inúmeros donos de empresa e administradores apregoarem esta idiotice.

A pior seqüela dos distúrbios de sono remete- nos as alterações de humor. Dormir mal nos deixa preguiçosos, irritados, cansados, fadigados, tensos, distraídos e com dificuldades para nos concentrar, os reflexos diminuem, o apetite sexual se esvai, e todo nosso rendimento e energia deixam de existir.

Com relação a um critério diagnóstico básico para as primeiras sessões de psicoterapia,com relação aos transtornos de ansiedade e de humor, sempre indago ao paciente como está seu sono, se ele está dormindo, se é muito ou pouco, se ele acorda cansado, se está sonhando.

O sonho como já falei anteriormente, independentemente de seu conteúdo, só ocorrerá se estivermos conseguindo um grau elevado de relaxamento o que implicará diretamente em repouso. No mais é comum pacientes em crise ou em forte tensão nervosa, que estes apresentem inúmeros pesadelos o que denotará seu grau de tensão e ansiedade.

Nossa equipe médica e de terapeutas propõe que em primeiro lugar se faça a correção do sono por meio de fitoterápicos populares que são descritos abaixo:

Soníferos:
1) Raiz ou talo de alface;
2) Camomila;
3) Capim Cidreira ou Erva Cidreira;
4) Casca de Maçã;
5) Folha de Maracujá;

Modo de preparo por infusão: Picar as folhas (cascas ou raiz), mais ou menos a proporção de uma xícara de café para cada 500ml de água. Ferver a água em recipiente separado por 10 minutos. Após a água estar fervida a despejar em uma vasilha contendo um dos itens citados acima. Tampar e deixar por 10 minutos antes de ingerir.

É importante não ferver as folhas. No caso da Erva Cidreira o mais importante é aproveitar o vapor e as gotículas que vão se formar na tampa após a evaporação.

Tomar uma xícara três horas antes de dormir.

Utilizamos no nosso Instituto estas receitas por estas serem de fácil acesso, de baixo custo, por estas não apresentarem efeitos colaterais e por terem eficácia comprovada. Sugerimos porém que para evitar a tolerância, ou seja que o organismo se acostume a substancia que o paciente troque a cada semana por outra receita. O ideal é que os soníferos sejam ingeridos somente a noite para que o indivíduo não durma durante o dia a não ser em casos extremamente necessários. A maior vantagem da fitoterapia popular neste sentido para nós é o fato desta não gerar dependência química, nem de intoxicar, ao contrário, certos chás são altamente digestivos como por exemplo a camomila.

Caso eventualmente estes fitoterápicos não dêem efeito então a equipe médica prescreverá remédios alopáticos ou outras metodologias afim de corrigir o sono do paciente.

Os exercícios físicos, alimentação adequada (retirando a cafeína excessiva do café, coca-cola e outros refrigerantes, do chá preto) tudo isto ajudará o sono.

O ambiente para dormir deverá ser tranqüilo e pacato sem estímulos exteriores (televisão, computador, rádio, luz acesa, barulhos fortes).

Tudo isto facilitará o processo do sono.

Por fim se o paciente estiver dormindo muito isto poderá ser um indício de dois fatores:

A) que ele está extremamente fatigado o que necessitará de muita energia
e por isto dormirá demais;

B) que ele estará trocando a noite pelo dia o que infelizmente é muito comum. Isto deverá ser adequado, mas sempre levando se em conta que há um biorritmo natural de cada indivíduo. Uns dormem menos, outros mais, uns levantando extremamente cedo, outros só conseguindo dormir bem tarde.

Todavia particularmente gosto de uma técnica simples que aprendi com um paciente do GAD que é a de relaxar imaginando uma paisagem serena, como a beira do mar, ou uma montanha tranqüila, algo extremamente simples mas que funciona muito bem.

Resumindo um bom sono será reparador e ajudará em muito a evitarmos inúmeras psicopatologias em especial o estresse.


Jorge Antônio Monteiro de Lima é pesquisador em saúde mental, Psicólogo e musico Consultor de Recursos Humanos Consultoria para projetos de acessibilidade para pessoas com necessidades especiais email: contato@olhosalma.com.br - site:www.olhosalma.com.br