Dores Emocionais

Por Eliane Pisani Leite

15/09/2009



As dores emocionais doem tanto quanto as físicas com a desvantagem de não poderem ser vistas.
Se fosse possível a visualização através de exames de laboratório, poderíamos ver que purgam como uma ferida aberta, às vezes até mais forte que uma ferida. É a dor da alma, que vai fundo no ser humano.
Em minha opinião, nenhuma dor física ocorre sem precedente emocional. O emocional sempre está presente nos problemas físicos.
Na Medicina Tradicional Chinesa sempre avaliamos o tipo psicológico da pessoa para entender que tipo de doenças aquele indivíduo poderá desencadear. Por exemplo: Um tipo Yang, muito ativo, agitado, poderá desenvolver problemas ósseos, miomas, cistos, ou seja, problemas de estruturas densas e secas, pois ele é muito quente e seca rapidamente as águas do corpo. Esse indivíduo se fosse colocado em terapia para entender seu funcionamento e fazer algumas atividades para trabalhar seu lado Yin (mais calmo), seria poupado de possíveis doenças.
Em nossa cultura Ocidental a Acupuntura é vista como técnica para tirar a dor e seu embasamento é justamente o contrário, ela foi desenvolvida há mais de cinco mil anos para equilibrar a pessoa e estabilizá-la para que não desenvolva doenças. Todo desequilíbrio energético e emocional leva às complicações físicas. É triste pensar que as pessoas, primeiro esperam adoecer para depois cuidar do emocional. Poupariam energias e dinheiro se fizesse o contrário.
Toda vez que é criada uma expectativa em relação a algo ou alguém, poderá surgir frustração. A difícil tarefa do terapeuta é justamente ajudar as pessoas a curarem suas frustrações.
Algumas medidas preventivas também poderão ajudar. Um exercício físico com reflexão como é o caso da Yoga, Meditação (significado: me-editar), tratamento Floral, Terapias Complementares.
O segredo é o estado de espírito, tudo depende da forma como encaramos os acontecimentos da nossa vida.
Aquilo que acontece ao seu redor vem de certa forma ensinar algo a você e uma atitude inteligente é tentar entender o que você precisa aprender com essa experiência.

Eliane Pisani Leite é Psicóloga, Acupunturista, Psicopedagoga, Terapeuta Floral
Autora dos livros: Pais EducAtivos, Brinquedos e Brincadeiras-Teoria e prática, A Importância da Mulher na Sociedade - www.elianepisani.com