Dificuldades Matemáticas e Dislexia

Por Eliane Pisani Leite

31/07/2007



Nos últimos artigos tenho mencionado muito sobre a Dislexia como dificuldades na leitura e escrita. Essa definição faz com que muitas pessoas pensem que a Dislexia afeta somente a ortografia e leitura, o que não é verdade, pois afeta inclusive a matemática.

Para compreendermos melhor essa dinâmica, vejamos um trecho extraído do fascículo do Sub-Comitê de Psicologia da Associação Britânica de Dislexia, traduzido para publicação da Associação Brasileira de Dislexia – ABD.

“Muitos disléxicos têm dificuldade para adquirir rapidez e fluência em simples cálculos: +,-, x, :, e na tabuada, mas eles poderão ter, não obstante, boa habilidade em matemática”.

Isso ocorre porque não há áreas do cérebro que só se ocupem especificamente da leitura e soletração. As áreas usadas para a linguagem escrita são usadas também para outros materiais simbólicos, incluindo números, gráficos, etc. Assim, se há um problema nessas partes do cérebro, será afetado o processamento eficiente de qualquer material simbólico, linguagem e matemática incluídos.

Tanto a linguagem escrita quanto a matemática são representadas por símbolos, por exemplo: o número três “3”, trás a idéia de três unidades que poderiam ser representadas por três elementos, como- # # #, ou ainda ter simplesmente qualidade de três.

Ao considerarmos esses conceitos não é de surpreender que indivíduos com dificuldades na linguagem do tipo de dislexia tenham freqüentemente dificuldades em matemática.

Um indicador muito simples é a inabilidade para contar para trás de dois em dois ou de três em três, começando por exemplo de 30, ou falar qual número está 5 lugares antes de 21.

Uma das maiores preocupações de educadores e pais , diz respeito à tabuada.

A idéia principal da tabuada é reduzir o tempo de cálculos, mas, como freqüentemente prolonga o tempo para os cálculos dos disléxicos, a melhor alternativa seria oferecer materiais auxiliares como esquadros, linhas numeradas, ou calculadoras, em vez de obrigá-los a grandes esforços.”

Existem vários outros fatores que dificultam o trabalho matemático para crianças disléxicas, porém esses mencionados são os que mais chamam a atenção, de forma muito simplista, pois na verdade para cada operação matemática existem várias operações realizadas pelo cérebro que ficaríamos horas descrevendo-as.

O mais importante é ter a conscientização do problema e dessa forma tentar ajudar a criança, ao invés de recriminá-la, porém antes de qualquer coisa é necessário lembrarmos que a dislexia deve ser diagnosticada por profissionais competentes e isso implica numa equipe multidisciplinar.

O cálculo mental sem utilização de calculadoras é muito importante para aquisição de maiores habilidades de raciocínio, por isso a indicação de uso de tais instrumentos auxiliares fica por conta de crianças disléxicas.


Eliane Pisani Leite - Autora do livro: Pais EducAtivos

Pisicologia Acupuntura Psicopedagogia - pisani.leite@terra.com.br