Conformismo - Uma Arma Letal

Irlei Wiesel

28/07/2008



O mundo nos contamina diariamente por meio das incontáveis notícias e informações. Elas surgem de todos os lados, muitas vezes, paralisam-nos, outras nos asfixiam e, às vezes, nos revoltam.

Raramente, motivam-nos a seguir em frente. Isso porque o foco do noticiário nacional adora o dramático. O caos é o que mais seduz.

Nós, leitores, ficamos com poucas opções e entramos no perigoso jogo de aprisionarmos nossa inteligência, aceitando, passivamente, as informações que nos chegam.

John Kennedy disse certa vez: “O conformismo é o carcereiro da liberdade, o inimigo do crescimento”.

Nossa inteligência é infinita, mas a insistência de abastecê-la com mesquinharias pode confundi-la. Lutar para explorar o mundo, focando o que ele tem de bom, é uma caminhada solitária. Uma caminhada que oferece glórias e vais e que, sem dúvida, não rimam com conformismo.

A nação brasileira precisa levantar, imediatamente, uma bandeira. Não me refiro à bandeira que todos já conhecem e que é palpável. Mas sim, a bandeira invisível: a Alma e o Espírito. Nossa inteligência precisa ser alimentada de forma saudável. E o que poderia ser mais saudável do que alimentar a alma e o espírito das pessoas, fazendo-as ACREDITAR NA VIDA?

Acreditar na vida, ter esperança no amanhã. Isso não é bobagem, nem hipocrisia. Pelo contrário, é a lei do universo!

Montaigne, o pensador francês, já dizia: “Não há nada mais tolo do que sempre se conduzir em obediência a uma mesma disciplina”.

Portanto, façamos um movimento nacional de indisciplina geral. Enquanto os formadores de opinião insistem na teoria de que está tudo um caos: corrupção, violência, crise, injustiças... Levantemo-nos! Não podemos sucumbir ao conformismo. Vamos sim, seguir desobedientes e inconformados. Juntos, entre glórias e vais, poderemos persuadir a um maior número de pessoas de que acreditar na vida vale a pena. Acordemos e não permitamos jamais, que alguém atrofie nossa inteligência, ao incutir informações negativas e desenhando um quadro sem esperança.

Isso não me serve! Sou, pois, indisciplinada e desobediente e informo aos que me ouvem, que a vida é tudo de bom e vale a pena ser otimista, ao contrário do que me informam...


Irlei Wiesel é Psicoterapeuta, Escritora.
E-mail: ilhw@terra.com.br
(55) 3026 3055