Conexão psicanalítica e Psicossomática sobre a Asma Brônquica

Por Dr. Wagner Paulon

20/04/2008

 


A Asma é uma perturbação do trato respiratório superior que afeta os pulmões e os brônquios, caracterizada por ofegos chiantes, tosse, sufocação e respiração entrecortada. Como a asma constitui um sintoma e não uma doença, requer medidas de localização, isolamento e eliminação de sua causa, mais do que tratamento da própria doença.

Os fatores psíquicos desempenham papel importante na causa ou no agravamento da asma brônquica. À respiração sibilante da asma tem sido comparada ao choro pela mãe, e é freqüente encontrarmos, na história de asmáticos, um relacionamento mãe-filho muito pobre. A crise seria desencadeada por uma ameaça de perda ou separação da mãe ou pessoa substitutiva da mãe. A personalidade do asmático foi descrita como "pré-oral" ou "respiratória", onde a fixação materna precede todas as outras relações e é tão vital e imediata, que mesmo uma separação breve, se ameaçada como permanente, é tida como se fosse potencialmente fatal.

Fatores orgânicos são importantes em alguns casos de asma. Infecções pulmonares crônicas ou repetidas, ou reações alérgicas podem estar presentes. Outra causa, embora rara, de dispnéia, é o síndrome carunóide e uma obstrução (tumor ou corpo estranho). Fatores desencadeantes, além do stress, são as exposições ao frio e à umidade, fadiga e debilidade física. Ao velho aforismo médico que diz: "Nem todas as respirações sibilantes são asma", poderíamos acrescentar: "Nem tudo aquilo que sibila significa um choro reprimido pela mãe".

Cerca da metade dos casos de asma provêm da sensibilização da mucosa dos brônquios por alérgenos específicos introduzidos no sistema respiratório. Os demais casos decorrem de infecções específicas dos brônquios. Os alérgenos causadores da asma alérgica são os que também produzem a febre do feno e compreendem polens, pós-orgânicos, pó caseiro, fungos do ar, penas, etc. Não se sabe por que esses alérgenos afetam os pulmões e os brônquios, em vez das fossas nasais. A asma afeta, em geral, igualmente homens e mulheres.

A crise aguda será tratada pelos meios médicos adequados. No intervalo entre as crises, a atenção deverá ser focalizada na personalidade freqüentemente neurótica ou psicótica latente do paciente. Se as crises são claramente desencadeadas por fatores emocionais ou se o paciente tiver benefícios secundários, poderá ser tentada uma psicoterapia prolongada. Se se suspeitar que a crise é um equivalente psicótico (substituto de depressão ou de psicose declarada) poderão ser usadas drogas antidepressivas e tranqüilizantes em alguns casos, mas com extremo cuidado devido a seus efeitos anticolinérgicos.


Dr. Wagner Paulon - Formação em psicanálise (Escola Paulista), mestre em psicopatologia (Escola Paulista), psicologia (Saint Meinrad College) USA, pedagogia (FEC ABC), MBA (University Abet) USA, curso de especialização em entorpecentes (USP), psicanalista por muitos anos de vários hospitais de São Paulo.