Condição Mulher

Por Eliane Pisani Leite

27/07/2007




Esposa, mãe e profissional.

Estas são atualmente as atividades desempenhadas pela mulher em nossa sociedade. Dentro destas atividades podemos enunciar inúmeras outras que se enquadram dentro dessas condições, como por exemplo: babá; motorista; enfermeira; cozinheira e tantas outras. Quantas vezes paramos para refletir nosso desempenho em todas essas tarefas e quantas vezes nos perguntamos se estamos realmente prontas para desempenhá-las. Penso que esta é uma pergunta para ser feita antes de tomar qualquer decisão relativa a um casamento, a uma maternagem e até mesmo em relação à carreira profissional.

Podemos refletir nosso desempenho ao analisarmos o texto escrito por Louis Lamyaál Farugi – 2.002, onde faz uma reflexão na diferenciação dos papéis do Homem e da Mulher em várias sociedades:

“No caso da sociedade Ocidental, as metas preferenciais foram aquelas tradicionalmente desenvolvidas pelos membros masculinos da sociedade. As regras de prover a manutenção financeira, do sucesso na carreira e a tomada de decisões assumiram uma importância e preocupação tão esmagadoras que aquelas que lidam com as questões domésticas, com as crianças, com o apoio estético e psicológico, com as interrelações sociais, foram desvalorizadas e até mesmo desprezadas. Tanto o homem como a mulher foram forçados a se adaptar a um modelo que talvez seja muito mais restrito, rígido e coercitivo do que o modelo que anteriormente atribuía papéis específicos para eles.”

Nós mulheres somos herdeiras de um legado conquistado a duras penas, graças a ele, podemos exercer nossos projetos profissionais e existenciais, refletir conjuntamente em torno de nós mesmas. Entre outras vitórias, nos tornamos sujeito e objeto de nossa própria pesquisa.

A mulher vem ganhando seu espaço aos poucos. Atualmente, embora tenha havido mudanças significativas nas relações de gênero e poder, ainda temos que negociar habilmente cada conquista realizada. Estamos vivendo uma profunda quebra de paradigmas e valores, mesmo dentro de um sistema capitalista onde recebemos informações contínuas de um modelo feminino que seduz pela crença numa juventude eterna, num corpo torneado de formas sinuosas e sensuais, o que faz com que muitas mulheres busquem incessantemente preencher as características desse modelo transmitido pela mídia, onde a mulher perfeita é aquela figura impecável, bem cuidada, bem sucedida profissionalmente, com uma família exemplar, onde os problemas só ocorrem na vizinhança. Essas características constituem um mito que pressiona a mulher a esforçar-se cada vez mais para alcançar tais metas.

Ser mulher hoje significa esforço redobrado, embora todas as conquistas tenham sua validade, a mulher precisa pensar muito bem para definir o que busca em seu caminho, estamos no momento de aprender a gerenciar nossas vidas de forma equilibrada e lógica, a fim de realmente construirmos um futuro repleto em realizações.


Eliane Pisani Leite - Autora do livro: Pais EducAtivos

Pisicologia Acupuntura Psicopedagogia - pisani.leite@terra.com.br