Como Lembramos o que já esquecemos?

Por Rosemeire Zago

06/06/2010

 

"Tudo que vivenciamos em qualquer momento de nossa vida pode ser ativado por um cheiro, uma palavra, música, estação do ano, e trazer a lembrança no momento presente" Você já deve ter vivenciado diversas situações no passado e por algum motivo, que geralmente sequer sabe, algo o fez lembrar no momento presente. Isso é muito comum de acontecer através de nossos sonhos, os quais podem nos trazer à lembrança pessoas, situações e fatos há muito esquecidos.

Por mais difícil que seja interpretar um sonho e muitas pessoas ignorarem seu conteúdo, e afirmarem que não sonham, na verdade não se lembram de seus sonhos, pois está provado cientificamente que sonhamos todas as noites.

A dificuldade em lembrar pode acontecer por diversas razões: uso de medicações, álcool, drogas, cansaço, sono superficial, distúrbios do sono, falta de interesse ou resistência ao conteúdo, despertar de maneira abrupta, são os motivos mais comuns que interferem na recordação do sonho.

Tendemos também a esquecer porque as imagens que vivemos no sonho são imagens de memória de curto prazo e, apagam muito facilmente. Experiências mostram que as pessoas lembram do sonho quando são acordadas logo depois que sonharam. Cinco minutos depois do fim de um sonho, esquecemos 50% do seu conteúdo, dez minutos mais tarde, esquecemos 90% de seu conteúdo. Podemos também esquecer sonhos que não queremos lembrar, como se houvesse uma resistência para perceber situações ou sentimentos que foram bloqueados e/ou reprimidos, geralmente por causarem dor, mas ainda assim, insistem em se fazer presentes.

Recentemente sonhei com uma pessoa que não vejo há mais de vinte anos. Ao acordar me lembrei do sonho, mas não consegui entender o motivo pelo qual havia sonhado com essa pessoa. Logo em seguida, olhei o celular e vi a data, e como num flash, me veio que era o dia do aniversário dela. Como não conseguia recordar se essa informação era correta, busquei na internet e fiquei pasma ao localizar um site que confirmou o nome e sua data de aniversário. Meu inconsciente tinha essa informação registrada e que por anos ficou esquecida, mas ao chegar o dia do aniversário dela fez com que essa lembrança fosse ativada. Sim, nem sempre sonhamos apenas o que foi esquecido, também podemos sonhar com fatos que ainda não vivemos.

Mas afinal, como lembramos o que já foi esquecido há tantos anos? Vemos, ouvimos, cheiramos e provamos muitas coisas sem notá-las na ocasião, ou porque nossa atenção se desviou, ou porque o estímulo foi fraco demais para deixar uma impressão consciente. O inconsciente, no entanto, tomou nota de tudo, e essas percepções subliminares influenciam o modo como reagimos a pessoas e fatos, sem percebermos. Mas o que é subliminar? Esse é um dos motivos pelo qual lembramos aquilo que já foi esquecido. Subliminar é tudo aquilo que está abaixo do limiar da memória. É a capacidade do ser humano de captar de forma inconsciente mensagens ou estímulos fracos demais para provocar uma resposta consciente. Ou seja, dados que passariam despercebidos pela mente consciente são interpretados e guardados no inconsciente.

Jung

Um exemplo citado por Jung é de um professor que passeando no campo e conversando com seus alunos, de repente percebeu que seus pensamentos foram interrompidos por lembranças da sua infância. Apesar de tais lembranças não terem nenhuma relação com o assunto, olhou para trás do caminho percorrido e viu que haviam passado por uma fazenda, quando surgira a primeira recordação de sua infância. Retornou ao local, quando sentiu cheiro de gansos e, imediatamente, percebeu que esse cheiro desencadeou as recordações de uma época em que viveu no campo onde se criavam gansos e há muito esquecidas. Isso nos mostra que mesmo uma recordação tendo sido “esquecida”, está registrada no inconsciente, e havendo um estímulo externo, automaticamente podemos sentir a mesma emoção registrada na época. Podemos lembrar tanto de experiências agradáveis como desagradáveis.

Nossos sonhos são repletos de símbolos e esses também podem ativar de maneira subliminar nossas emoções e recordações, seja através de sonhos oníricos ou em vigília. Isso quer dizer que não é apenas através dos sonhos que aquilo que foi esquecido há tempos pode retornar à nossa lembrança. Veja abaixo a foto de um anúncio da Volkswagem:



Foto extraída do livro “O Homem e Seus Símbolos”, pg. 36.

Você percebe que o símbolo da VW foi formado com carrinhos em miniatura? Essa foto/símbolo pode ativar recordações inconscientes da infância; se forem lembranças agradáveis, o prazer poderá ser associado ao produto e a marca e fazer com que a pessoa deseje comprá-lo. Ou seja, ainda que tais lembranças de uma época em que se brincava com carrinhos não sejam recordadas conscientemente, poderá inconscientemente influenciar numa decisão, no caso, na compra de um veículo dessa marca. Isso é o que chamamos de propaganda subliminar. Tudo que vivenciamos em qualquer momento de nossa vida pode ser ativado por um cheiro, uma palavra, música, estação do ano, e trazer a lembrança no momento presente.

Na verdade, não esquecemos o que sentimos em qualquer época de nossa vida, apenas ficam registrados em nosso inconsciente e podem retornar a nossa consciência através de nossos sonhos, intuições, insights. Quando isso acontecer, procure entender a mensagem que está sendo transmitida, e assim, conhecer um pouco mais sobre você mesmo.


Rosemeire Zago é psicóloga clínica, com abordagem junguiana e especialização em Psicossomática. Desenvolve o autoconhecimento através de técnicas de relaxamento, interpretação de sonhos, importância das coincidências significativas, mensagens e sinais na vida de cada um, promovendo também o reencontro com a criança interior. Email: r.zago@uol.com.br