Climatério

Por Dr. Wagner Paulon

24/12/2009

 



No Climatério os hormônios das mulheres atenuam, invertendo boa parte dos processos que se estão desenrolando em suas fibras. Ao passar dos anos, já na fase do envelhecimento, os ovários produzem menor porção de hormônios, nosso sistema circulatório fica vagaroso e nossos vasos sangüíneos perdem um pouco de tono. No momento oportuno, outras glândulas tentam suprir com seu trabalho a avaria dos hormônios sexuais.

Em determinadas mulheres, o remanejamento da fabricação hormonal tem área gradualmente e de modo suave; em outras, o período de adaptação é bem mais turbulento. O fluxo aumentado de adrenalina causa "ondas de calor" e põe em ação o sistema de alarme do corpo: o pulso, a pressão sangüínea e os batimentos cardíacos aumentam; a respiração se acelera; a boca fica seca; e o coração martela. Um certo numero de mulheres ficam intrigadas por se sentirem alarmadas sem nenhuma razão para isso. No entanto, há de fato um motivo — seu corpo está sentindo o efeito de um excesso de adrenalina, embora tal fato não seja causado por ameaça externa.

Protestamos a essas alterações em nosso corpo de acordo com nossos argumentos individuais, familiares e culturais. Em algumas sociedades onde as mulheres morrem algum tempo após terem deixado de ser férteis, elas antecipam a morte iminente. Bastante dos nossos argumentos mais tradicionais oferecem pouca orientação para esses anos, uma vez que a meia-idade era caracterizada em ser o fim da vida. As noções culturais existentes ainda não se atualizaram com relação à nova duração do período de existência.

Determinadas mensagens típicas do argumento incluem em nosso país: "Quando Mamãe passou por 'isso', ela quase morreu. Apresentou um esgotamento nervoso, tornou-se intratável, tentou suicidar-se e parou de se preocupar com o que quer que fosse." "A menopausa é horrível. É o fim da estrada." "Quando a gente não é mais fértil, ninguém nos quer. Não somos mais mulheres." "As mulheres na nossa família nunca se preocuparam com isso. Simplesmente deixaram de menstruar por volta dos cinqüenta, e só."

Em sua maioria, os tecidos dos seios e da vagina se alteram de fato com a ausência dos hormônios. Retraem e ressecam. Os tecidos da pele se deformam e os ossos se tornam frágeis. A relação sexual pode tornar-se penosa, a não ser que sejam usados lubrificantes para dar mais conforto durante o processo. Os hormônios artificiais (pílulas anticoncepcionais) também podem ser ingeridos por mulheres para retardar tais mudanças. Os hormônios citados são poderosos e têm efeitos secundários semelhantes aos da gravidez.

A alteração do quadro hormonal nos homens é bem diferente do das mulheres e não passam pela mesma experiência dramática, nem experimentam a interrupção de funcionamento de um processo fisiológico. Prosseguem a produzir espermatozóides por muitos anos ainda. Por fim, o número de espermatozóides diminui à medida que envelhecem, mas não passam por alterações físicas abruptas. O vigor sexual está relacionado para eles mais com saúde física e atitude mental do que com fertilidade. Os homens cujos argumentos indicam um decréscimo do interesse sexual nessa fase podem realmente vir a sentir-se assim — mas não é necessário que seja dessa maneira.

Os homens que igualam virilidade com desempenho podem vir a confundir aposentadoria em termos profissionais com aposentadoria sexual; na verdade, não há vinculação biológica. O modo de continuar a ter uma existência sexual ativa é continuar a ter uma vida sexual atuante.

 

Dr. Wagner Paulon - Formação em psicanálise (Escola Paulista), mestre em psicopatologia (Escola Paulista), psicologia (Saint Meinrad College) USA, pedagogia (FEC ABC), MBA (University Abet) USA, curso de especialização em entorpecentes (USP), psicanalista por muitos anos de vários hospitais de São Paulo.



 

Sempre ouço falar que não existe receita pronta para o sucesso. Mas você pode pegar alguns ingredientes que são comuns às pessoas bem-sucedidas e que devem ser incorporados à sua receita de sucesso, como o caráter! 

“Quando dizia a meus filhos que a honestidade era uma das maiores virtudes de nossa família, eles comentavam sobre o detector de radar que havia instalado em meu carro. Quando lhes falava sobre bebida, eles olhavam como nossos convidados se comportavam. É mais fácil pregar a idoneidade, o bom caráter, do que praticá-los, e os filhos são especialmente bons para enxergar as diferenças entre o que os pais pregam e o que praticam.”  

Aquela antiga e sábia frase que afirma que as palavras movem, mas os exemplos arrastam, mostra o tipo de pessoa que você é com os amigos, em casa e nos negócios. 

Ninguém trabalha ou negocia por muito tempo com os chamados “espertalhões”. Tem um exemplo que acho desconcertante e que acontece freqüentemente em feiras e supermercados. Diz respeito à venda de morangos. Acho que você já deve ter tido a experiência de comprar uma caixa de lindos morangões e, quando chegou em casa, a parte de baixo era de pequenos e podres moranguinhos.   

“A capacidade de vender morangos do dono da loja está na parte de cima da caixa, mas o caráter na parte de baixo”. O caráter não pode ser herdado, mas pode ser aprendido.  

Seja persistente aos seus princípios morais. Quando você tiver dúvida quanto à forma que deverá agir, faça a seguinte pergunta para seu subconsciente: Se a minha atitude fosse publicada na primeira página do jornal da minha cidade, minha família sentiria orgulho ou vergonha do meu comportamento? 

Se a resposta for sim, você está no caminho certo, vá em frente e dê o melhor de si. Se for não, reveja seus atos. Não adianta você ganhar muito dinheiro e, ao colocar a cabeça no travesseiro à noite, não conseguir dormir tranqüilamente com sentimentos de culpa e temor. 

Os traficantes têm muito dinheiro, mas nunca serão prestigiados pela sociedade, porque para eles subirem muitas pessoas têm que descer, e descer muito fundo; ganham dinheiro, mas perdem a paz de espírito. Em qualquer lugar do mundo o dinheiro não compra respeito. 

A nossa geração viverá mudanças grandiosas a uma velocidade absurda, mas algumas coisas, como caráter, respeito e uma vida idônea, jamais mudarão. Valorize estes princípios e você será uma pessoa admirada. 

Prof. Menegatti é conferencista em Vendas, Motivação e Liderança. Entre seus produtos estão: o Livro "Desperte seu Potencial Emocional", CD Motivacional "Marcado para Vencer", DVD "Campeão de Vendas". A cada palestra, o Prof. Menegatti vem conquistando platéias de norte a sul do país. Contatos: www.menegatti.srv.br - menegatti@menegatti.srv.br

Rogerio Martins é Psicólogo, Consultor de Empresas e Palestrante. Especialista em Liderança e Motivação. Sócio-Diretor da Persona Consultoria & Eventos. Autor do livro "Reflexões do Mundo Corporativo". Membro do Rotary Club de SP Santana (Distrito 4.430).
Contato: artigos@personaconsultoria.com.br / www.personaconsultoria.com.br