Auto-sabotagem impede regime; supere

Por Rosemeire Zago

09/03/2010

 


Quem deseja e/ou precisa emagrecer tem muitas dúvidas sobre o quanto os conflitos emocionais refletem diretamente no desejo compulsivo de comer. Se você sempre teve dificuldades em iniciar ou dar continuidade a um programa de reeducação alimentar, se já fez de tudo e não conseguiu resultado algum, se já fez todos os exames laboratoriais e nada foi diagnosticado, é bem provável que a causa seja emocional. Mas como identificar qual é?

Desejo por doces, principalmente chocolates, estimula a produção de serotonina, substância do cérebro ligada à sensação de prazer

Você pode identificar sozinho conversando muito consigo mesmo, escrevendo sobre seus sentimentos até que consiga chegar numa lista das prováveis causas ou procurar auxílio de um psicólogo que tenha experiência na área.

Estamos aprendendo cada vez mais a lidar com o outro, a nos defendermos de quem tenta nos prejudicar, mas nem sempre percebemos que nosso maior inimigo está bem dentro de nós. Estamos mais conscientes de nossos direitos, seguimos à risca o Código do Consumidor, mais atentos que precisamos evoluir, mas o que dizer daquelas pequenas falhas, por vezes velada, de auto-sabotagem? Nem sempre sabemos o que devemos fazer, pois algo mais forte parece obter o controle e ficamos perdidos, sem saber como continuar ou até como começar.

A teoria é conhecida por muitos, mas colocar em prática nem sempre é fácil. Porém, por mais que você considere impossível ou difícil, é possível mudar esse padrão de pensamento e, em conseqüência, seus comportamentos e resultados serão compensadores. É preciso determinação, persistência, comprometimento e o desejo profundo de cuidar de si mesmo como cuidaria de uma pessoa que ama. Para mudar qualquer tipo de comportamento o primeiro passo é identificá-lo.

Você deverá fazer uma análise de seus comportamentos e/ou sentimentos. Segue abaixo alguns exemplos de auto-sabotagem ou seja, justificativas que damos a nós mesmos como 'desculpa' para não fazer algo a mais por nós. Veja com qual(is) dele(s) você se identifica, mas também procure identificar outros que podem não constar nesta lista:

- Não sei o que sinto. Negar os próprios sentimentos faz com que se afaste de tudo que tem de mais sagrado; os seus sentimentos e em conseqüência, sua saúde física e mental. Com o excesso de peso estará sobrecarregando seus órgãos e mais predisposto a desenvolver doenças. Esse hábito traiçoeiro pode trazer prejuízos graves em longo prazo. Você perde a credibilidade e a confiança em si mesmo.

- Me sinto ótimo com minha aparência! Quando na verdade está se sentindo péssimo. Você pode até omitir para os outros como se sente, mas não esconda a verdade de si mesmo. Se olhar de frente para o espelho e não gostar da sua imagem, ficará mais fácil saber o que precisa mudar. Encare-se de frente, sem medo!

- Estou sempre adiando o início ou para continuar. Ou, segunda-feira eu começo! Esse modo de pensar é uma forma de enganar a si mesmo. O dia de amanhã é uma péssima escolha para começar. Hoje é o dia para cuidar mais de você!

- Dependo do incentivo dos outros para começar ou continuar. Pessoas assim têm baixa auto-estima e precisam constantemente que lhes digam que são capazes, que estão ótimas, etc, pois elas mesmas não acreditam nisso. Procure valorizar tudo que já conseguiu e comece a acreditar mais em você!

- Já comecei tantos planos alimentares e nunca deu certo! Sempre é hora de (re)começar, não importa quantas vezes tenha tentado. Será que naquele momento você estava mesmo disposto? Será que o plano que você iniciou tinha haver com seu ritmo de vida? Tudo deve ser considerado quando se escolhe uma atividade física ou mudança de hábitos alimentares. Algumas pessoas ficam tão presas ao passado que acabam se afastando do que acontece hoje, tempo presente. Não conseguem ter satisfação no momento que vivem. O seu momento agora é outro e os resultados também serão, acredite nisso!

- A família não coopera. Se os filhos, os pais, o marido, a esposa, o trabalho, enfim, sempre há alguém ou algo que dificulta seguir seu programa é sinal de que está permitindo que qualquer coisa o afete. Parece que eles estão sempre fazendo ou oferecendo tudo aquilo que gostam e você não consegue dizer não. Quem precisa se sentir bem com seu corpo, eles ou você? É preciso ter a consciência que quem está seguindo um plano alimentar é você e não sua família.

- Quando estou nervoso, ansioso, como tudo que posso! Ao invés de pensar: vou comer tudo que puder, mude seu pensamento e questione-se sobre os resultados desse seu comportamento. Isso parece mais uma punição. Do quê você estaria se punindo ou tentando compensar? O mais indicado é você ter a consciência que não deve tentar resolver seus problemas comendo mais, pois irá aumentar seus problemas ao invés de resolvê-los, concorda?

- Como tudo que tenho vontade e depois me culpo! Procure pensar mais sobre o que faz, principalmente antes de comer. Assim, aprenderá aos poucos a ter mais controle em suas ações. Não vá comendo por comer, analise antes o que está fazendo. Como fazer isso? Conversando muito consigo mesmo para identificar seus sentimentos e quando for comer, pense se está com fome ou não, não faça nada sem pensar. Pergunte-se: "Por que vou comer? Estou com fome?" E só coma depois de se dar as respostas. Vá fazendo isso sempre até se tornar um hábito.

- Não consigo ficar sem comer doces ou chocolate! O desejo por doces, principalmente chocolates, estimula a produção de serotonina, substância do cérebro ligada à sensação de prazer. É preciso identificar o que está por trás dessa necessidade. O que mais te dá prazer além de doces?

- O resultado é lento, não tenho paciência! A ansiedade faz com que você não consiga esperar pelo resultado. Cria expectativa e idealiza os resultados imediatamente! O que é mais importante, obter resultados ainda que lentos, porém duradouros ou não obter resultado nenhum? Ou ainda, eliminar alguns quilos rapidamente e com a mesma rapidez voltar ao peso anterior?

- Não tenho tempo para preparar meu cardápio! Procure uma nutricionista. Ela estará sempre a sua disposição com sugestões de alimentos que você tenha mais facilidade para preparar. Busque orientação.

- Quando alguém sabe que estou querendo eliminar alguns quilinhos, ficam sempre me cobrando! Nessas situações, procure colocar seus próprios limites e não dê chances que opinem, ou se não for possível, simplesmente não dê ouvidos. Já bastam suas próprias cobranças, não é mesmo?

Se você identificou alguns desses comportamentos como justificativas para não cuidar de você, agora é hora de começar a mudar um por um. O processo de retomada do peso desejado faz parte de todo um processo e isso pode levar algum tempo, por isso você deve ser muito amoroso consigo mesmo nesse período. Você já deu o primeiro passo chegando até aqui, agora acredite e conte consigo mesmo nessa sua nova caminhada! Você consegue!
 


Rosemeire Zago é psicóloga clínica, com abordagem junguiana e especialização em Psicossomática. Desenvolve o autoconhecimento através de técnicas de relaxamento, interpretação de sonhos, importância das coincidências significativas, mensagens e sinais na vida de cada um, promovendo também o reencontro com a criança interior. Email: r.zago@uol.com.br