Ansiedade é doença?

Por Karen Camargo

30/01/2009

 


Muitas pessoas não sabem se a ansiedade é algo normal de se sentir ou se é um transtorno. Este texto poderá auxiliar a responder esta e outras questões sobre a ansiedade e suas definições.

A primeira definição sobre ansiedade é que ela é um sentimento. A literatura sobre o tema a define como um estado emocional com a qualidade do medo, desagradável, dirigido para o futuro, desproporcional e com desconforto subjetivo (Lewis, 1967). Talvez, o mais importante nesta primeira parte do texto é compreendermos que a ansiedade não é unicamente uma doença. Ela faz parte do nosso sistema de defesa e foi ela que permitiu estarmos aqui hoje, lendo sobre ela: a seleção natural favoreceu os ansiosos, pois a ansiedade os salvou de algum perigo ou predador e por isso sobrevivem até hoje. Assim, não seria exagerado dizer que todos nós somos ansiosos (com variações, é claro) pois isso foi selecionado, ou seja, é produto da seleção natural.

De uma forma geral, a ansiedade é um sentimento incômodo, que gera desconforto e que muitas vezes está projetado para o futuro. A pessoa ansiosa costuma viver em constante estado de alerta, pois teme que algo (ruim / temido) possa acontecer no futuro e que isso possa gerar sofrimento. Assim, o medo, as preocupações são comuns nos ansiosos.

Esses medos e preocupações em excesso podem sim atrapalhar nosso cotidiano e muitas vezes virar doença. No Brasil, estima-se que 23% da população desenvolva algum tipo de distúrbio ansioso ao longo da vida. Os chamados Transtornos de Ansiedade são os seguintes: síndrome do pânico, transtorno obsessivo compulsivo, transtorno de ansiedade generalizada, estresse pós traumático e as fobias.

Para terminar, é importante afirmar que a ansiedade pode ser um aviso de que algo não vai bem e que devemos lutar para descobrir o que está causando tal inquietação ou mesmo qual a função dela em nossa vida. Como a ansiedade sinaliza um perigo eminente, podemos refletir sobre o que pode estar aversivo ou causando angústia em nossa vida. Caso ela esteja trazendo sofrimento, o tratamento deve envolver psicoterapia e em alguns casos, o uso de medicamentos.

Karen Camargo
Psicóloga Clínica
www.karencamargo.com.br